5 de nov de 2010

MULHERES: COMO SE CUIDAR

Equipe Oncoguia


 O câncer é a segunda maior causa de mortes no Brasil. Detectar o câncer o mais cedo possível permite não só maior oportunidade de cura, como também melhor qualidade de vida.

Os exames preventivos permitem um diagnóstico do câncer em fase inicial e a chance de cura varia de 70% a 90%, conforme o tipo de câncer e o tratamento. Os exames de rotina variam conforme a idade da mulher e o risco do surgimento da doença (casos de câncer na família).

Por isso, é muito importante que você conheça seu histórico familiar e converse sobre isso com o seu médico. Ele poderá lhe orientar sobre o assunto.

Câncer de Mama

O câncer de mama é a doença que mais afeta mulheres no mundo. Ele pode surgir em qualquer idade, mas em especial, após os 40 anos.

Ir ao ginecologista é fundamental a partir da primeira menstruação. O seu médico poderá realizar alguns exames durante a consulta e pedir outros complementares.

Você sabia que..
O autoconhecimento das mamas (antigo auto-exame) deve ser realizado mensalmente para que você se conheça. E não com objetivo de achar alguma alteração. Esse é um exame que deve ser realizado a partir da primeira menstruação e poderá ajudá-la a conhecer sua mama e, desta forma, saber o que é normal para você.
Leia mais sobre esse assunto clicando aqui

Conhecer o que é normal ou anormal em seu corpo é fundamental. Caso perceba alguma alteração, dor ou secreção você deve comunicar imediatamente o seu médico.

O exame clínico das mamas é um exame feito pelo médico durante a consulta ginecológica. Ele deve ser realizado anualmente a partir dos 20 anos de idade. Lembre-se: O exame clínico deve fazer parte da consulta ginecológica. O seu médico tem a obrigação de realizá-lo.

A mamografia é o exame mais recomendável para o diagnóstico preciso da doença. Ele deve ser realizado a partir dos 40 anos de idade, anualmente. Caso você tenha histórico de câncer de mama na família e não tem 40 anos ou mais, converse com o seu médico sobre a realização antecipada da mamografia.

Câncer de Intestino

Qualquer adulto, em qualquer idade pode vir a desenvolver o câncer colo retal ou de intestino. Entretanto, a idade mais comum para o surgimento desse tipo de câncer é a partir dos 50 anos de idade. O Câncer de intestino pode atingir homens e mulheres igualmente.

Pessoas com histórico familiar de câncer colo retal em parentes de primeiro grau ( pai, mãe, irmão) com menos de 60 anos ou em 2 parentes ( ou mais) de primeiro grau, pólipos adenomatosos no intestino e reto, doenças inflamatórias intestinais (doença de Crohn ou colite ulcerativa) são mais propensas a desenvolver esse tipo de câncer.

Outros fatores de risco que podem estar relacionados a esse tipo de câncer são: dietas ricas em gorduras, sedentarismo e o consumo de tabaco.

O que eu posso fazer para me cuidar?

Abaixo selecionamos alguns dos principais exames para o diagnóstico da doença:
   Sangue oculto das fezes – A partir dos 50 anos de idade, anualmente
   Colonoscopia – A partir dos 50 anos, anualmente
   além de manter uma dieta e peso equilibrado.

Câncer de Colo do Útero

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA) vários são os fatores de risco identificados para o câncer do colo do útero, entre eles, início precoce da atividade sexual, multiplicidade de parceiros, tabagismo e, principalmente, o vírus do papiloma humano (HPV) transmitido sexualmente. Este vírus está presente em mais de 90% dos casos de câncer do colo do útero.

A prevenção primária do câncer de colo do útero se faz por meio do uso de preservativos durante a relação sexual. A prática do sexo seguro é uma das formas mais eficazes de evitar a transmissão do HPV, vírus que tem papel precursor no desenvolvimento do câncer nessa região.

A partir da primeira menstruação, toda mulher deve consultar um ginecologista anualmente. Após a primeira relação sexual, durante a consulta com o médico toda mulher deve realizar o exame preventivo do câncer de colo do útero feito pelo ginecologista e o exame de Papanicolaou, independentemente da idade de inicio da atividade sexual.

O exame pélvico, exame que faz parte da consulta ginecológica feita pelo próprio médico, tem como objetivo confirmar que tudo está bem ou em alguns casos, identificar a presença de distúrbios hormonais, infecções, lesões benignas ou malignas como o câncer. Ele deve ser feito anualmente, a partir da primeira ida ao ginecologista, independente da idade.

Câncer de Ovário

O câncer de ovário, assim como o câncer de mama, pode ocorrer em qualquer idade, mas é mais frequente após os 40 anos. Os principais fatores de risco para o desenvolvimento desse tipo de câncer são: Idade avançada (mais de 40 anos), mulheres que nunca tiveram filhos ou mulheres que tiveram a primeira gravidez tardiamente, uso continuo de hormônios – anticoncepcional e reposição hormonal.

Cerca de 90% dos cânceres de ovário são esporádicos, isto é, não apresentam fator de risco reconhecido. Cerca de 10% dos cânceres de ovário apresentam um componente genético ou familiar. História familiar é o fator de risco isolado mais importante.

Ainda hoje não existem exames preventivos para o diagnóstico desta doença (como a mamografia para os tumores de câncer de mama). O Papanicolaou não identifica o câncer de ovário e só serve para lesões no útero. Dessa forma, todas as mulheres, independentemente da idade, devem estar atentas aos fatores de risco, diferentes sinais e sintomas que possam aparecer e para isso, devem consultar anualmente o seu médico ginecologista ou sempre que sentir alguma manifestação diferente.

Câncer de pulmão

Fumar é a principal causa do desenvolvimento do câncer de pulmão (está associado há 90% dos casos). Se você é fumante, o primeiro passo é parar de fumar. Procure ajuda de seu médico, caso haja necessidade.

A mais importante e eficaz prevenção do câncer de pulmão é a primária, ou seja, o combate ao tabagismo. A ação permite a redução do número de casos (incidência) e de mortalidade provocada pela doença.

Câncer de pele

O Câncer de pele é mais comum em indivíduos com mais de 40 anos sendo relativamente raro em crianças e negros, com exceção daqueles que apresentam doenças cutâneas prévias. Mulheres de pele clara, sensível à ação dos raios solares, ou com doenças cutâneas prévias são as principais vitimas do câncer de pele.
Todas as pessoas podem desenvolver câncer de pele, mas algumas têm este risco aumentado, por que:

   Trabalham ao ar livre
   Têm pele e olhos claros
   Queimam-se facilmente com formação de bolhas
   Tem antecedentes de Câncer de pele na família

Dicas importantes na prevenção do câncer de pele e na fotoproteção:

   Reduza seu tempo de exposição ao sol e evite exposição solar entre 10:00 e 15:00 h (não considerando o horário de verão).

   Escolha um protetor solar com pelo menos FPS - 15 (fator de proteção solar). Com FPS - 15 a maioria das pessoas está protegida por 2 horas e meia.

   Aplique o protetor solar 30 minutos antes de se expor. É preciso tempo para que o filtro comece a agir.

   Reaplique o protetor solar quando você permanecer mais de 2 horas exposto ao sol ou quando o filtro for retirado por contato com a água, suor etc. Para quem trabalha ao sol cubra-se: use calças, camisas de manga comprida, chapéu de aba larga e óculos escuros de boa qualidade com proteção ultravioleta (UV).

   Cuidados especiais devem ser tomados em praias, montanhas, onde os raios solares são ricos em Raios Ultravioleta.

   Proteja-se de superfícies refletoras como areia, neve, concreto e água, que fazem os Raios Ultravioleta atingir indiretamente a pele.

   Esteja atento a qualquer mudança na sua pele.

   Mesmo nos dias nublados (mormaço), sob a água ou através do vidro nos carros com a janela fechada a radiação solar está presente.

   Não se esqueça de proteger as orelhas, lábios, pescoço, palmas das mãos e plantas dos pés e onde o cabelo está rarefeito.

Fonte: www.oncoguia.com.br

0 comentários:

Postar um comentário